INNA para a revista Va!

"INNA conquistou vários continentes, já vendeu mais de 4 milhões de discos e seus vídeos foram reproduzidos mais de mil milhões de vezes no Youtube. A sua estratégia: ser autêntica.

Elena Alexandra Apostoleanu, melhor conhecida como INNA, conseguiu, aos 29 anos, o que poucos na música. Em 2016, a cantora Romena superou os mil milhões de reproduções, somente em seu canal do YouTube. Há pouco tempo de sua estreia, em 2008, obteve o título de "rainha do dance", graças ao seu single "Hot", que se posicionou em listas de popularidade musicais no México, Panamá, Argentina, Rússia, Turquia e Espanha.  

A cantora Romena seguiu colhendo êxitos. Canções como Deja Vu, Sun is Up, Caliente e Cola Song levaram-na a ganhar vários prêmios. Ela tem dois* MTV Europe Music Awards e 13 MTV Romania Music Awards. Até a data, seus três álbuns** venderam mais de quatro milhões de cópias, aos quais somou participações com artistas latinos como Pitbull, J Balvin e Daddy Yankee.

Durante a sua última estância no México, INNA conversou com a VA! Sobre a sua trajetória e o grande amor que tem por sua cultura latina, que surgiu desde que era pequena. Como prova, fala um perfeito espanhol, o qual aprendeu enquanto via telenovelas com a sua mãe". 

Entrevistada por Lucero Santiago/ Fotos por Jorge Ramírez Posada

Entrevistada por Lucero Santiago/ Fotos por Jorge Ramírez Posada

VA!- Iniciou na música desde muito jovem. Se não tivesse escolhido esta profissão, qual outra teria escolhido?
R: Desde pequena eu queria ser cantora e fazer música. Nunca pensei em outra profissão, pois nasci em uma família onde sempre esteve presente: minha mãe era cantora e minha avó também. Minha família sempre esteve submergida na música.


VA!- Desde pequena você tem lutado para se sobressair na indústria musical. Quais são as mudanças drásticas que você tem experimentado desde que decidiu ser cantora?
R: Drástico é uma palavra um pouco drástica. Sim, houve mudanças. Por exemplo, não tenho muito tempo para mim, viajo muito, sinto falta de minha família e amigos. Além disso, a responsabilidade é maior, pois tenho a empresa e uma equipe muito grande.


VA!- Qual tem sido a sua chave para o sucesso?
R: Se eu sabia, agora já não sei, porém, acredito que ser sincera, amar muito o que faço e ter paciência com tudo.


VA!- Como foi encontrar seu estilo musical? Custou encontrar a sua voz?
R: Em meu caso, não encontrei este estilo, mas foi natural, inevitável. Ele me encontrou.


VA!- Quais são os principais desafios ao criar uma canção ou produzir um disco?
R: No mundo, nada é difícil ou fácil. Assim é a vida. Cada vez que faço uma canção penso em me arriscar. Não se sabe se as pessoas gostarão ou não. Isto sim que é difícil e não pode-se mudar. Se é bom, é bom. Se é ruim, é ruim. E faz-se outra até que te saia uma muito melhor. Trabalhando duro pode-se fazer tudo. Se uma canção não é boa, não significa que há de se parar, ao invés, deve-se trabalhar mais.


VA!- Considera que através da música transmite vivências pessoais?
R: Comigo é diferente, não canto de minha vida nem de emoções. Quando eu canto te dou emoções. A minha se trata de festa. Nunca falo de meus amores passados.


VA!- Em suas canções você fala de amor, porém, de uma maneira divertida. O que é que te inspira se não se trata de histórias pessoais?
R: Sim, tenho canções que falam de amor, não canto de minha vida pessoal, mas do que vejo da energia dos outros, do que sentem as outras pessoas, o ritmo, com palavras muito simples. Quando vê a energia que há no palco sequer tem-se porque te preocupar pela letra.


VA!- Do que você mais desfruta ao trabalhar com diferentes cenários, músicos e públicos?
R: Eu gosto de estar perto da gente, falar com as pessoas, pensar em como apoiá-las. Pessoalmente, gosto de dançar muito, dar concertos, fazer entrevistas. "Me gusta todo".


VA!- Quais são os seus planos para o futuro? O que vem proximamente em sua carreira?
R: Estarei promocionando meu novo álbum em uma edição especial (provavelmente o INNA Edição Mexicana), que tem algumas canções inspiradas na música mexicana. Estarei em turnê pela Europa, e estou muito ansiosa para o "Weekend Festival", onde compartilharei o palco com grandes DJ's e com mais de mil pessoas.


VA!- Tem sido complicado demonstrar que, mais além de ser sexy e atrativa, é talentosa?
R: Todas as meninas gostam de serem sexy, bonitas e belas, porém chega a um momento no qual há de ensaiar mais e demonstrar que tem talento. Então pergunta a si mesma: "O que posso fazer diferente? Qual a mensagem que desejo dar às pessoas?". Assim descobre o sentido de tudo, porque a vida te ensina.


VA!- Sei que admira cantoras como Shakira e Thalía. E também tem feito canções em espanhol. De onde surge este interesse para a cultura latinoamericana?
R: Do meu coração. Eu gosto da música. Não sou fã de somente uma, porém gosto da gente que trabalha duro, ensina algo e tem uma mensagem. Isto é o que mais aprecio, mais além do que ser diva, viajar em jets ou ter diamantes. O mais importante é ser boa pessoa e estar perto de seus fãs.


VA!- Qual é a melhor recordação que tem de sua mãe? O que lhe diria se ela estivesse no México e pudesse ler esta entrevista?
R: A minha mamãe me diria que se sente orgulhosa e me ama. Ela sempre disse para mim que me adora. Já que não estou muito em casa, o sentimento é maior.


VA!- Quais são os seus destinos favoritos do México?
R: São tantos. O México é uma lindeza, é mágico! Fomos a Zacatecas. Guadalajara- onde há um Centro Histórico muito bonito-, San Luis Potosí... Todas, até as cidades perigosas como Chihuahua têm algo interessante.


*Na verdade, INNA venceu a premiação nacional Romena do MTV Europe Music Awards (Best Romanian Act) 3 vezes, em 2009, 2010 e 2015.
** Na verdade, INNA lançou, ao menos, 4 álbuns de estúdio: Hot, I Am The Club Rocker, Party Never Ends e INNA (Body And The Sun).

Acesso em 10 de Maio de 2016.


Kelvin Criști
Amo a dance music romena! Sou produtor iniciante de música eletrônica, talvez escritor, talvez artista ASMR, mas com certeza corinthiano! Há 21 anos um club rocker nascia.
Comentários