Saiba tudo do primeiro show de INNA na Irlanda

Por Jonathan Currinn 

Inna se dirigiu ao palco do The Wright Venue em Dublin, Irlanda, em 3 de dezembro de 2016. O seu suporte de abertura foi o DJ romeno, Vanotek. Vanotek é um DJ que concorreu para representar a Romênia no Festival Eurovisão da Canção 2016 com The Code & Georgian. Ele já colaborou com Yanka, Minelli e Hevito.

O ato de abertura realmente deixou o público excitado, tocando várias canções que fizeram a audiência bombar. Tanto que, houve um zumbido emocionante para que INNA viesse ao palco. Vanotek mostrou as suas habilidades, de fato, entrando nas canções que ele estava tocando, o que emanou energia para todas as pessoas do clube. A espera por INNA estava alta.

Às 9 horas da noite, Inna apareceu no palco, começando o seu set com Bamboreea. Ela era auxiliada por dois dançarinos que podiam definitivamente trabalhar o palco. Essa super estrela romena falou com o público numerosas vezes, perguntando sobre os seus países de origem. Havia muitos romenos na plateia, assim como alguns poloneses, brasileiros, canadenses e alemães.

Ela brincando pediu para um membro da platéia remover seu casaco e começar a dançar até que não estivesse mais com frio; Ele realmente tirou o seu casaco. Ela falou em romeno para o público, assim como teve uma conversa em espanhol com alguém na frente.

Cantando músicas de todas os seus quatro álbuns e tentando encaixar todas elas na curta programação, provou ser uma tarefa difícil. Mais cedo, ela cantou Be My Lover, que começou de vez a festa, antes de lançar uma faixa de baixo igualmente pulsante, Walking On The Sun

Seus maiores hits ao redor do mundo são totalmente Hot e Sun Is Up. Ela os mudou um pouco, adicionando um sabor para essas canções músicas que todo mundo conhece. Se há uma coisa que não podemos negar em Inna são os seus poderosos vocais. Cantando ao vivo, em todo o seu seu repertório, ela nos atordoou completamente.

Alternando entre os hits de seus álbuns; Inna exibiu emoção, fogo, energia e amor aos seus fãs. Deja Vu foi um total melhor momento da apresentação, seus vocais foram acesos por completo e ficou claro que ela amava cantar essa música. Diggy Down foi tão bom quanto, a música é chiclete sem esforço e ainda melhor ouvida ao vivo. Como para INNdiA, essa arrasou em tudo.

Contudo, ela roubou totalmente a cena com Bop Bop. Essa originalmente traz Eric Turner e é uma música incendiária. Apresentada ao vivo, ela dançou durante os refrões, em total sincronia com seus dançarinos, a coreografia bastante simples estava elegantemente sedutora e totalmente no ponto do começo ao final.

Inna, nome real, Elena Alexandra Apostoleanu, é bastante conhecida por cantar em diferentes linguagens. Ela lançou muitas canções que têm francês, espanhol, romeno e letras em inglês.

No palco do The Wright Venue em Dublin, ela cantou algumas músicas em diferentes línguas. Seu hit, Yalla, contém letras em árabe e pode ser encontrado no seu quarto álbum autointitulado. Aperfeiçoou aquelas letras e as cantou sem hesitação, provando o quão é profissional. Novamente, ela fez o mesmo quando chegou a vez de Heaven, que incluí um verso inteiro em francês. Também cantou uma canção toda em romeno, a sua língua materna.

Conforme mencionado anteriormente, INNA faz jus ao seu nome quando o assunto é colaboração. Nada mais do que Daddy Yankee. Ele participou em duas de suas músicas, ambas das quais ela cantou em Dublin.

We Wanna é originalmente cantada por Alexandra Stan & INNA com um verso de Daddy Yankee. Essa música é uma que você nunca vai tirar da sua cabeça, mas quando cantada ao vivo por INNA, é inteiramente cheia de energia e excitação. Ela então se lançou em More Than Friends que também possui Daddy Yankee e foi bem melhor ouvida ao vivo.

 

Cola Song, originalmente compondo J Balvin foi o penúltimo som. Esta canção é uma que facilmente se endereça em nossas cabeças assim que a ouvimos; ainda, quando cantada ao vivo por Inna, seus bonitos vocais tratam de acertar cada parte de nossos corpos. Inna pode cantar de verdade.

 

Sua última canção foi In Your Eyes. Essa foi definitivamente a performance da noite, puramente porque ela fez algo inesperado; algo que estamos tão acostumados de ver em seus shows. Ela sentou no limite do palco e pulou no público, ainda cantando o tempo todo. Os seguranças avançaram no limite do palco, finalmente pularam na frente dela, e moveram o público de lado enquanto ela tentava cumprimentar quantos fãs fosse possível, tudo no momento em que cantava a música.

Assista INNA pular no público enquanto canta In Your Eyes!

Se por um lado, o set de Inna foi muito curto, ainda embalou completamente com todos os seus hits e mais. Você não pensaria que ela poderia passar por todas aquelas canções dentro de apenas uma hora. O fato de que ela administrou cantar a maioria dos seus sucessos enquanto falava com o público e explicava o quanto amava seus fãs, realmente realça a sua qualidade de estrela.

Ela perdeu algumas favoritas dos fãs que incluem: Call The Police, a qual é originalmente cantada com três outras artistas femininas; Summer In December, a qual seria perfeita para o concerto já que ele aconteceu em 3 de dezembro de 2016, porém, essa contém apenas uma participação vocal de Inna sendo cantada originalmente por Morandi; então Amazing e Love do seu primeiro álbum que foram músicas mundialmente bem sucedidas; assim como a balada-clube Endless de seu segundo álbum, esse que também incluí músicas como Club Rocker, originalmente com Flo Rida, e Un Momento, totalmente esquecidas da lista de apresentação.

Mesmo assim, isso mostra quantas músicas incríveis Inna possui e é impossível incluir todas elas; ainda,nós estávamos esperando ouvir Say It With Your Body, seu lançamento mais recente. Ela também não cantou nenhuma música inédita, que pretende lançar como promoção do seu breve quinto álbum de estúdio. Independentemente, Inna é uma cantora que você não quer perder, e se você tiver a oportunidade de ir vê-la, tenha a certeza de que não vá perdê-la.

Acesso em 6 de dezembro de 2016.


Kelvin Criști
Amo a dance music romena! Sou produtor iniciante de música eletrônica, talvez escritor, talvez artista ASMR, mas com certeza corinthiano! Há 21 anos um club rocker nascia.
Comentários